20.11.10

Amamentação

Andou circulando um artigo por aí sobre amamentação. As mamães blogueiras e twiteiras já se pronunciaram. Bom, quero compartilhar a minha experiência, já que foram completamente diferentes!


Novembro 2004
Carolina
Depois de uma gravidez super tranquila, como eu queria, fiz o parto normal, que foi induzido e foi com anestesia.
Carol nasceu com 40 semanas de gestação e pesando 3,340kg e 50cm.


Março 2010
Isadora e Helena
Gravidez toda em repouso, aquele medo de não dar nada certo.
Com 34 semanas as meninas mandaram avisar que estava na hora. Correria no hospital. Pressão aumentada. Cesárea urgente. Parto super complicado seguido de uma histerectomia. Meninas nasceram pesando 2,075kg e 1,750kg.


Bom, a Carol mamou exclusivo no peito até os 6 meses. Uma maravilha, eu amava amamentar. Já as meninas, planejei muito como faria, amamentar as duas ao mesmo tempo, ou anotar o lado do peito que cada uma mamou... mil coisas. Mas já imaginava que elas precisariam de complemento. E então, elas foram para UTIneonatal. E eu, nada de leite... nada de poder pegar as minhas meninas para dar o meu peito pra elas. Não podia. Elas não estavam ali comigo. Quando desceu o leite, comecei a tirar com a bombinha elétrica, afinal, elas mamavam apenas 8ml pela sonda. Quando elas foram liberadas para mamar no meu peito, quase não saia muito leite, mas elas chegaram a mamar. Porém, elas estavam na UTI justamente para ganhar peso. Como controlar o ganho de peso delas mamando no peito? Ok, na UTI elas são pesadas todos os dias, então fizemos um teste. No dia que só dei peito para elas, elas não ganharam nadinha de peso. Os médicos preferiam que eu tirasse o leite e elas receberiam pela sonda. Ou seja, elas mamando no peito, de tão fraquinhas, pequeninhas que eram, o gasto calórico era muito maior do que o que elas ingeriam. Que pecado. Mas só tirando o leite, sem o bebê sugar, não dura muito tempo. Nos dias que elas ficaram na UTI eu acordava de madrugada para tirar leite. Quando estava lá, eu tirava lá na UTI mesmo. E ficava lá, de olho, verificando se eles estavam dando o meu leite mesmo ou o pré-nan. 


Na verdade a minha médica também não queria muito que eu amamentasse, estava com uma anemia fortíssima, devido a retirada do meu útero. Chegou a 19, sendo que o normal é 36 ou 37, não sei. Só sei que eu estava fraca demais, mal conseguia chegar naquela UTI pra ver as meninas, ia de cadeira de rodas, mas ia. E elas a cada visita minha, melhoravam muito.


Ah, e uma coisa muito engraçada. Como a Carol mamou super bem, eu não acreditava muito naquelas mães que diziam que o filho não gosta do peito, que não pegou bem o peito. Achava que era coisa de mãe que não queria amamentar. Que nada gente. A Isadora fazia cara de nojo quando eu botava ela no peito. Ela até mamava, mas só com muita fome, senão preferia o leite artificial mesmo. Mas é assim, mães mordem a língua!


Bom, só pra dizer que ninguém é mais mãe ou menos mãe porque amamentou o seu filho, como tinha gente comentando sobre o assunto no twitter. Cada casa é um caso, tudo depende do momento. Na primeira gravidez falei que iria amamentar até os 6 meses. Pois com 6 e meio, meu leite acabou. A gente coloca as coisas na cabeça e elas acontecem. Já das meninas, com um mês eu já nem dava mais conta da quantidade de leite que elas precisavam. Até os 20 ml de cada, tudo bem, porque o máximo que eu tirava era 40 ml. Daí comecei a dar uma vez pra uma, outra pra outra, até que começou a diminuir a quantidade. Uma pena, mas não deu. Ficava uma hora para tirar 40 ml. 


Agora eu não gosto de crianças muito grandonas amamentando não. Eu. Não julgo ninguém, cada mãe sabe o que faz, mas vou contra essas campanhas de amamentação. Pra mim até os 6 meses tá muito bom!


Sou muito mãe, independente do que qualquer um pense ou fale. Cada mãe sabe o que faz pelos seus filhos.

3 comentários:

Oi querida... passeando pelo blog das minhas amigas te achei por aki.... E li seu texto sobre amamentacao....
Olha... eu tbm sofri muito preconceito quando a giovana largou do meu peito.... Minha historia é mto parecida com a sua... com 10 dias depois que a minha filha nasceu eu nao conseguia mais dar de mama pra ela... meu peito feriu muito, saiu muito sangue, muitas dores e febre... entao eu tirava o leite na bombinha e dava na mamadeira, enquanto isso eu ia passando remedio pro peito sarar... quando ela fez 3 meses o peito estava saradinho e otimo, mas ela nao quis mais o peito... só a mamadeira! eu me senti a pior das mulheres, um lixo, incapaz de amamentar minha pripria filha... fora as criticas das pessoas.... Eu nunca dei Nan ou outra fórmula pra minha filha.... só leite do peito bombeado.... aluguei aki em sao paulo uma bombinha eletrica que estimula como se fosse a boca do bebe... e assim ela mamau até os 6 meses exclusivamente leite do meu peito.... custei muito a me curar do peso na consciencia de nao ter amamentado a minha filha no peito... mas quando eu vi que eu consegui recuperar o meu leite e dar o meu proprio leite pra ela até o sexto mes.... isso fez eu me sentir melhor...
mas vamos nessa que mãe é isso!
vou seguir seu blog e assim vamos trocando experiencias.... bjs
lá!
Parabens pelo blog! Que coisa mais linda!!!
Andando pelos blogs das minhas amigas te encontrei... Vou te seguir pra gente trocar algumas experiencias! rsrsrs Mãe adora ouvir historias de outras mães...
Eu gosto de escrever sobre tudo, mas o assunto que eu mais gosto mesmo é sobre filhos!!! Adoro trocar experiencias... Mãe de primeira viagem soooooofre! rsrsrsr Bjs E passa lá no meu tbm...
Amiga, os meus gêmeos tbm mamaram super pouco. A Manu ficou na UTI e tbm precisava ganhar peso, o Patrick não, mas eu tbm não tinha leite suficiente pra todo mundo. Mamaram NAN e sempre foram saudáveis, somos super apegados (não tem essa de não ter vínculo com a mãe) e estão ótimos, obrigada! Todos felizes!!! E um beijão pra vc e suas três meninas!!!

Postar um comentário