20.2.11

Tristeza...

De vez em quando escuto pessoas se preparando para nascimentos e lembro e fico muito triste. Quem não passou, não sabe como é triste preparar uma mala de maternidade e a mala voltar intacta pra casa. Pensar tanto tempo no enfeite da porta da maternidade, mandar fazer com tanto amor, e ele ter que voltar pra casa.Apressar a lembrancinha e não ter o bebê no quarto para as pessoas visitarem. Ficar no quarto sem os bercinhos... Tantos planos... e a gente não sabe o que nos espera na hora do parto... Como foi triste. Como é triste vir para casa sem o bebê com a gente... ainda bem que tinha a Carol precisando de mim.


Como eu chorei, como me senti fraca, impotente. Mas lá na frente delas eu era muito forte, rezava muito pra elas, cantava pra elas, conversava. Só não dormia lá pela Carol, claro, e porque não podia mesmo.


Mas os dias se passaram, elas tiveram alta da UTI antes do que eu imaginava, usaram todas as roupinhas da mala - que minha mãe e a Mica guardaram tudinho, me pouparam de desfazer a mala delas - consegui colocar o enfeite da porta penduradinho no roupeiro delas, dei as lembrancinhas para todos e ainda tive que mandar fazer mais por três vezes! Isso que elas estavam proibidas de receber visitas...


Não sei porque lembrei desse momento, que já está fazendo um ano semana que vem! Mas, graças à Deus, agradeço por tantas orações, de tanta gente, hoje as duas estão aqui, fervendo, saudáveis, coisamaislindadomundo, fazendo um aninho! Logo, nem terei mais bebê dentro de casa, nunca mais. É a vida.



2 comentários:

Imagino como é isso..não sou mãe, mas moro com minha irmã e sobrinha, vivi tudo isso, desde a gravidez..minha fofucha ficou 31 dias na UTI Neonatal..é horrivel, mas graças a Deus são guerreiras e o Cara lá de cima sabe o que faz né? Muito sucesso, amor e saúde para vocês. Beijos
Gabi, querida...
Eu passei minha gestação toda com o fantasma da prematuridade na minha cabeça, assombrando meus pensamentos.
E as pessoas falavam como se fosse a coisa mais gostosa do mundo para uma gestante ouvir: "Ah, gêmeos nasce antes"
Os meus nasceram com 36 semanas e eu me lembro que falava para a médica: Se eles não tiverem alta, você inventa alguma doença pra mim, mas não me dá alta.
Graças a Deus, muito repouso e muuuuitas injeções que tomei durante meu repouso hospitalizada eles tiveram alta comigo.
Mas logo depois minha sobrinha nasceu de 29 semanas! E eu sofri e acompanhei toda a dor da família.
Graças a Deus passou (para você e para minha afilhada) mas posso falar que compartilho da sua dor, e entendo essa melancolia que deve bater de vez em quando...
Guarde essa lembrança, viva sua dor sempre que precisar, depois deixe ela lá no lugar dela, no passado e seja feliz.
É isso que eu faço com sentimentos ruins....
E conte sempre comigo.
Beijos, querida
Calu
http://blog.mulheremae.com.br

Postar um comentário